Notícias

No Domingão do Faustão, Fausto Silva fará homenagem a Roberto Leal

Apresentador costuma fazer homenagens no Domingão do Faustão: morte de Roberto Leal não deve ser diferente.

PUBLICIDADE

O apresentador Fausto Silva deve fazer uma homenagem ao cantor Roberto Leal neste domingo, 15 de setembro, no Domingão do Faustão. Roberto Leal morreu, aos 67 anos, vítima de câncer de pele, nas primeiras horas da manhã. O cantor português era figura cativa no Domingão do Faustão, apresentado pelo comunicador na Globo.

Após morte, Roberto Leal deve receber homenagem de Faustão na Rede Globo de Televisão

Desde que estreou na Globo, Faustão teve muitos convidados. Roberto Leal foi um dos nomes mais presentes. Recentemente, inclusive, o cantor de hits como ‘Uma Casa Portuguesa’, já havia recebido uma homenagem no quadro ‘Show dos Famosos’, quando foi imitado na atração. Já neste domingo, a homenagem deve ser póstuma. 

Roberto Leal esteve várias vezes no programa do Faustão: apresentador deve lembrá-lo

No Domingão do Faustão, Roberto Leal deve receber homenagem de Fausto Silva, após morte
No Domingão do Faustão, Roberto Leal deve receber homenagem de Fausto Silva, após morte

O comunicador costuma sempre mandar mensagens para pessoas que fizeram parte da história da atração. Normalmente, Faustão fala frases bonitas e mostra uma foto do artista que faleceu no telão. Roberto Leal, que faleceu após dois anos lutando contra um câncer, deve receber a mesma honraria do comunicador.

Homenagem à Roberto Leal no Faustão; como deve ser

Conhecido pela sua generosidade, Faustão é muito emotivo.  Além de mostra o rosto dos amigos falecidos no telão, ele dá sempre um adeus especial aos artistas. Com Roberto Leal, muito provavelmente, deve ser solicitada uma salma de palmas do auditório do comunicador.

Relembre um pouco da carreira de Roberto Leal, vítima de câncer

Em 45 anos de carreira, Roberto Leal vendeu mais de 17 milhões de discos e gravou mais de 400 músicas. Entre elas, também estão faixas como “Bate o pé” e “A festa ainda pode ser bonita”.

Nascido em Macedo de Cavaleiros, no norte de Portugal, o cantor se mudou para o Brasil aos 11 anos, com os pais e nove irmãos. Em São Paulo, trabalhou como sapateiro e vendedor em uma feira.

Mais de 20 anos depois do lançamento de “Arrebita”, a popularidade do cantor ganhou vida nova quando, em 1995, os Mamonas Assassinas lançaram “Vira-vira”, que satiriza músicas dele.

Em entrevistas, Leal costumava dizer que se sentia homenageado pelo grupo.