Aeroporto mato grossense se destacasse como um dos 3 piores do Brasil.

aeroporto de cuiaba

Uma pesquisa feita pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil no segundo trimestre do ano, onde se questionava-se a satisfação dos passageiros, com uma escala de pontos de 1 a5, onde esta pesquisa apontou que o Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grade, é destacado como o 3º pior entre os 20 aeroportos pesquisados, com nota 4,22, com média de cinco milhões de passageiros por cada ano. Em outra avaliação que faz um “geral” que também tem pontos que vão até 5, o aeroporto tirou 4,22. Os outros dois aeroportos que ficaram nos dois últimos lugares, foram os aeroportos de Florianópolis com pontuação de 3,69 e o aeroporto de Belém com 3,97. Nesta pesquisa, 8,342 mil pessoas foram entrevistadas. E o resultado desta pesquisa foi revelado ontem 31 de julho de 2018.

Dentre as perguntas feitas no aeroporto de Várzea Grande, os passageiros foram questionados sobre a facilidade de desembarque no meio-dia, com nota de: 4,39, o tempo de fila na inspeção de segurança 4,61, a confiabilidade na inspeção de segurança, 4,40, a cordialidade e prestatividade dos funcionários na inspeção de segurança com nota de 4,46, a qualidade da sinalização do aeroporto com nota 4,16, e para finalizar, disponibilidade e qualidade das informações nos painéis de voo com nota máxima de 4,14, dentre essas questões muitas outras descaram o aeroporto Internacional Marechal Rondon como um dos três piores do nosso Brasil.

Porém, durante esses 5 anos, a avaliação mostrou que houveram melhorias nos valores dos produtos comerciais e também os valores dos alimentos, mas, ainda, são esses os principais pontos de reclamações dos passageiros entrevistados para esta pesquisa. Os dados repassados pela Secretaria Nacional de Aviação Civil, demostra que os entrevistados que possuíam maior grau de escolaridade e maior renda deram as notas menores durante a pesquisa realizada. Isso também ocorreu com aqueles passageiros mais frequentes no aeroporto, e os viajantes estrangeiros deram notas bem maiores que os passageiros brasileiros.