Notícias

Catador visita Lula e surpreende ao revelar como o ex-presidente está

PUBLICIDADE

Luiz Henrique da Silva, catador do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis, esteve nesta quinta-feira (13), visitando o ex-presidente preso Luiz Inácio Lula da Silva e contou como ele está.

Catador visita Lula na PF de Curitiba e fica feliz

O catador esteve na tarde de hoje na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba acompanhado do escritor Raduan Nassar.

Satisfeito por ter tido a oportunidade de visitar Lula, Luiz Henrique disse que ficou feliz por ver que o ex-presidente que ele via aqui fora é o mesmo que está lá preso, só que o petista está p*** da vida, porém, animado e gozando de boa saúde.

Lula manda recado da prisão através do catador de recicláveis

Segundo o catador, o recado que Lula mandou é o seguinte: “Não abaixarmos a cabeça e continuarmos na luta, pensando num projeto de país“.

Mas o catador disse não ter nenhum prazer e nem tão pouco orgulho de encontrar com Lula na cadeia.

Haddad também visitou Lula na cadeia

Fernando Haddad estava com os visitantes, ele é um dos advogados de Lula e explicou que esta ida à sede da PF em Curitiba faz parte do Natal dos Catadores, uma cerimônia que contava com a presença do ex-presidente.

Os catadores se reuniam em Curitiba e Lula os visitava, inclusive quando não era mais presidente do Brasil, então a cooperativa decidiu ir ver o petista e dar um apoio a ele.

Luiz Henrique recebeu uma cata de Lula e disse que iria lê-la no evento que reúne os catadores, mas adiantou que o ex-presidente estava desejando um feliz Natal a todos eles e que esta profissão é tão importante quanto a de um médico, pois eles ajudam na preservação do meio ambiente.

Desde abril deste ano que Lula encontra-se preso na PF de Curitiba, cumprindo pena de 12 anos e 1 mês, acusado dos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Os advogados do ex-presidente Lula recorreram ao Superior Tribunal de Justiça, pedindo a condenação ou ao menos penas mínimas para estes crimes, o que possibilitaria que o petista migrasse para o regime semiaberto.