A senadora eleita pelo Estado do Paraná e atual “presidenta” do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, vai a capital venezuelana Caracas prestigiar a posse de Nicolás Maduro. Difícil imaginar uma ideia tão estapafúrdia e desastrada, aparentando que  a senadora decidiu dar uma ajuda aos “bolsonaristas” para acabar de vez com o pouco que resta do partido.

Cegueira do PT e de Gleisi Hoffmann apoiando Maduro na posse

Nicolás foi reeleito num pleito marcado pelo baixíssimo comparecimento do eleitor às urnas, mais da metade do eleitorado não apareceu para votar, e pairam sobre o pleito graves suspeitas de fraude. Lembrando ainda, que os dois maiores rivais do presidente reeleito foram impedidos de concorrer às eleições presidenciais, e que a oposição restante contesta o resultado oficial das urnas.

Desde assumiu o poder, há quase seis anos, Maduro conduz o país rumo ao autoritarismo, com o esvaziamento do Parlamento, a perseguição a juízes e a prisão e o cerceamento de direitos de adversários políticos.

Pesa ainda contra o reeleito, o fato de ter pressionado o Conselho Nacional Eleitoral para anular um referendo que ameaçava revogar seu mandato.

A própria Human Rights Watch, num relatório recente, afirmou que a “repressão implacável do governo tem resultado em milhares de detenções arbitrárias, centenas de casos de civis julgados por tribunais militares, casos de tortura e outras violações”.

Nos últimos dias, a entidade humanitária denunciou novas torturas contra militares e civis acusados de conspirar contra Maduro: “Os abusos incluem espancamentos brutais, asfixia, corte nas solas dos pés com uma lâmina de barbear, choques elétricos e privação de comida”.

Venezuela em colapso econômico

Apesar das fartas reservas de petróleo, a Venezuela está mergulhada num colapso econômico, combinada por  hiperinflação e desabastecimento.

Segundo dados das Nações Unidas, uma média de cinco mil cidadãos venezuelanos deixam o país todos os dias, com cerda de três milhões fugindo do caos, desde 2014. No Brasil, o “êxodo venezuelano” provocou até uma crise humanitária no estado de Roraima.

A viajem de Gleisi para a festa de Maduro, mostra que o PT parece  habitar no mundo da lua

Gleisi e o PT poderiam ter aproveitado as derrotas eleitorais para ficar mais distante do “velho aliado”, mas o nariz, não só da presidenta, mas também do partido, continua empinado, fingindo não reconhecer a tirania de Maduro.

Bastava o reconhecimento, do tamanho do equívoco que vem sendo o regime de Maduro, defendendo uma transição gradual e pacífica de poder. Mas a empáfia não tem fim, e a provocação e a afronta ao governo Bolsonaro é o que realmente importa no momento.

Fonte: Blogs Globo: POR BERNARDO MELLO FRANCO

Blogs de esquerda enaltecem atitude (cômica) da senadora

A prova de que vale tudo, e que é afronta, está nas próprias palavras da senadora, em nota assinada pela dirigente petista:

O Partido dos Trabalhadores (PT) rechaça o intervencionismo e a posição agressiva do atual governo brasileiro contra o país (Venezuela).”

O mais absurdo, para não dizer cômico, está no titulo da matéria, onde diz que Gleisi “leva apoio do PT ao povo da Venezuela”, restando saber, que apoio é esse e se ele sabem onde está este povo, citado pela presidenta do partido.