Notícias a toda hora!

Justiça prende possíveis responsáveis pelo rompimento da barragem de Brumadinho

Presos nesta terça, 29, envolvidos e responsáveis pelo rompimento da barragem de Brumadinho na Mina do Córrego do Feijão e o seu licenciamento. Até o momento, três funcionários da Vale que estavam diretamente envolvidos foram detidos.

Também foram presos os engenheiros terceirizados que participaram do estudo recente que atestou a estabilidade da barragem que rompeu na ultima sexta-feira, 25.

Suspeita sobre a validade dos laudos que atestaram a segurança da barragem em Minas

Logo depois do rompimento da barragem de Brumadinho, na sexta, (25), começaram a ser levantadas algumas hipóteses sobre a “validade dos laudos que atestaram a sua segurança”. A barragem já não recebia rejeitos de minério desde 2015 e  o plano de desativação definitiva estava nos planos da empresa.

No mês de dezembro, foi concedida uma licença para reaproveitamento de rejeitos e encerramento das atividades.​

Tragédia em Brumadinho. Foto/Reprodução
Tragédia em Brumadinho. Foto/Reprodução

Prisão dos envolvidos na tragédia de Brumadinho é por 30 dias

​Dos cinco mandados expedidos na operação, dois alvos tinham domicílio na capital paulista, São Paulo. Os demais tem residencia em Belo Horizonte, na região metropolitana.  A prisão decretada é por 30 dias e todos os detidos serão ouvidos ainda nesta terça pelo MPE, em Belo Horizonte.

A investigação servirá para apurar a veracidade dos documentos que aferiram a segurança da barragem. Se foram fraudados ou se houve alguma negligência no processo de vistoria.

Ao todo, foram expedidos cinco mandados de prisão por 30 dias, além de sete mandados de busca e apreensão de documentos e provas e foram cumpridos na sede da Vale em Nova Lima (MG) e numa prestadora de serviços em São Paulo.​

Os documentos e provas apreendidas serão encaminhados ao Ministério Público para averiguação e análise. ).

O delegado responsável, Osvaldo Nico Gonçalves, do Decade (departamento de buscas e prisões) informou que cumpriu mandados de prisão e apreensão em três locais de São Paulo: na casa de dois engenheiros, André Yassuda e Makobo Namba, presos, e um terceiro na sede de uma empresa de engenharia.

Segundo o delegado foram apreendido vários documentos para pericia, telefones e computadores, o material foi apreendido em veículos dos presos, garagens e depósitos da empresa.

Durante o cumprimento das prisões, os detidos se mantiveram em silêncio. “Eles foram orientados pelo advogado a falar em juízo”, disse Dr Nico. Os dois seguem da sede do DHPP de São Paulo e de lá, seguem para o Campo de Marte, onde serão embarcados num para voo para Belo Horizonte.

A Vale por meio de nota informou que “colabora com as autoridades”.