A Justiça Federal aceitou a denúncia do Ministério Público e Luiz Inácio Lula da Silva se tornou réu, sendo suspeito de lavagem de dinheiro. Acredita-se que o ex-presidente recebeu R$ 1 milhão por ter intermediado as discussões do governo de Guiné Equatorial com um grupo de brasileiro para que fosse instalada uma empresa aqui no Brasil.

A Força Tarefa da Operação Lava Jato de São Paulo apresentou a denúncia no mês passado e hoje foi recebida pela Justiça Federal

De acordo com o Ministério Público Federal em São Paulo, o petista Lula recebeu o dinheiro como se fosse uma doação feita ao Instituto Lula, entre os meses de setembro de 2011 a junho de 2012.

Cristiano Zanin Martins, advogado de Lula, divulgou uma nota afirmando que este foi ‘mais um duro golpe no Estado de Direito’, alegando que ‘subverte a lei e os fatos para fabricar uma acusação’. Ainda segundo o advogado, a intenção é continuar com a ‘perseguição política sem precedentes’.

Instituto Lula se defende

A assessoria de imprensa do Instituto Lula informou que as doações recebidas são todas legais, foram declaradas e os impostos foram todos pagos devidamente.

Em comunicado divulgado pelo Instituto, foi informado que as doações foram todas aplicadas nas atividades e que não tiveram ‘nenhum tipo de contrapartida.’

Lula também foi acusado do crime de tráfico de influência, porém, como o ex-presidente tem mais de 70 anos, o crime acabou prescrevendo.

Condenado a 12 anos de prisão, Lula continua preso na sede da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, acusado de lavagem de dinheiro e também por corrupção referente ao caso do triplex no Guarujá, em São Paulo.