Notícias

Maduro acusa Jair Bolsonaro de integrar complô dos Estados Unidos para matá-lo

PUBLICIDADE

Nicolás Maduro acusa Bolsonaro, o presidente da Venezuela, disse nesta quarta-feira (12), que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, está envolvido nos planos dos Estados Unidos par assassiná-lo.

O ditador venezuelano ainda acusou John Bolton, que é o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, de arquitetar tudo e preparar o golpe.

As acusações não pararam por aí e Maduro afirmou que o governo colombiano também está ajudando no plano para matá-lo e que Jair Bolsonaro até já teria recebido as tarefas que deverá cumprir.

Hoje venho outra vez denunciar o complô preparado na Casa Branca para violentar a democracia venezuelana, para me assassinar e para impor um governo ditatorial na Venezuela“, afirmou Nicolás Maduro.

+Luciano Huck diz que Jair Bolsonaro não tem um projeto para o Brasil e causa polêmica

Trump seria o chef do complô

Para Nicolas Maduro, as pessoas que estão conspirando contra ele, elegeram Bolton como o principal assessor do presidente norte-americano e que Donald Trump seria o ‘chef do complô’.

Maduro acusa Bolsonaro de fazer parte de complô pra mata-lo. Foto/Reprodução
Maduro acusa Bolsonaro de fazer parte de complô pra mata-lo. Foto/Reprodução

De acordo com o ditador venezuelano, a meta dos conspiradores é fazer uma intervenção militar em seu país e matá-lo, instaurando em seguida um conselho de governo transitório. Bolsonaro teria a missão de começar as provocações militares na fronteira dos dois países.

Maduro voltou a criticar Hamilton Mourão, alegando que o vice-presidente eleito fala como se fosse um ‘presidente paralelo do Brasil’ e que o país irá invadir a Venezuela.

Em janeiro de 2019 o ditador dará início ao seu 2º mandado de 6 anos, sendo que a oposição não teve participação efetiva nas eleições, inclusive vários organismos internacionais não reconheceram como válida.