Notícias a toda hora!

O que quer dizer ‘Acuenda o pajubá’ e porque foi usado na prova do Enem 2018

O que quer dizer 'Acuenda o pajubá'. “Nhaí, amapô! Não faça a loka e pague meu acué, deixe de equê se não eu puxo teu picumã!”. No último domingo estudantes que prestavam o Enem 2018 se depararam com a frase acima, enquanto resolviam a questões da prova de Linguagens e Códigos da edição 2018.

Aquendar – Olhar, paquerar, mas também pode ser usado como transar. Pode ser entendido ainda como pegar, esconder

Afinal, que quer dizer ‘Acuenda o pajubá’?, Qual a tradução para a frase “Nhaí, amapô! “Não faça a loka e pague meu acué, deixe de equê se não eu puxo teu picumã!”? Apresentada no último domingo (4), quando milhares de estudantes prestaram o Enem se depararam com a frase, enquanto resolviam questões da prova de Linguagens e Códigos da edição 2018 de Exame Nacional do Ensino Médio.

A questão do Enem envolvendo o dialeto secreto gay gerou muitos posts com comentários nas redes sociais quando diversos estudantes criticaram  a tal questão, a maioria em tom de protesto, muitos por nunca terem ouvido falar da existência de tal linguagem, e obvio por não fazerem parte de nenhum grupo LGBT, onde o dialeto é mais conhecido e usado,

‘Acuenda o Pajubá’! O que quer dizer o termo do dialeto gay e porque razão foi usado no Enem 2018

O título do texto que compunha a questão: “Acuenda o Pajubá: conheça o ‘dialeto secreto’ utilizado por gays e travestis”, era parte essencial para se resolver a questão, mas causou estranhamento pela combinação pouco usual destas palavras, a mistura do português informal com uma fala estranha, mais próxima a línguas africanas, soava incompreensível à quem a tinha sob as vistas, trazendo ainda a pergunta: Entendeu alguma coisa da frase acima (a maioria obviamente não), se sim é porque você “manja” alguma coisa de “pajubá” o tal “dialeto usado secreto por gays”, acontecendo que a maioria não tinha a  mais remota ideia do que se tratava o tal dialeto gay, o pajubá.

PUBLICIDADE

O que quer dizer Acuenda o pajubá, Dicionário Pajubá. Foto-Reprodução.
O que quer dizer Acuenda o pajubá, Dicionário Pajubá. Foto-Reprodução.

Definido como o “repertório vocabular e performativo de certa parcela da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais)”, conforme explicou à um portal o professor Carlos Henrique Lucas Lima, docente da UFOB (Universidade Federal do Oeste da Bahia) e autor do livro “Linguagens pajubeyras: re(ex)sistência cultural e subversão da heternormatividade”, que acreditamos também, jamais ter sido lido pela grande maioria dos estudantes que prestavam a prova do ENEM. Numa pesquisa o Google, com data de antes de 01 de novembro de 2018, pouquíssimos resultado foram exibidos, cerca de apenas 4.

O que significa o termo ‘Acuenda o Pajubá’?

Por fim, descobrimos em nossa consulta aos dicionários pajubás disponíveis, que o termo ‘acuenda’ ou ‘aquenda’ (com crase) não consta em nenhum deles, mas consta o verbete ‘Aquendar’, que significa: Olhar, paquerar, mas também pode ser usado como transar. Pode ser entendido ainda como pegar, esconder.

O que quer dizer Acuenda o pajubá, Dicionário Pajubá. Foto-Reprodução.
O que quer dizer ‘Acuenda o pajubá’?, Dicionário Pajubá. Foto-Reprodução.

Porque o ‘pajuba’ foi usado na prova do ENEM 2018?

De acordo com o professor Lima,  na prova do Enem, a questão serviria para “provocar o aluno sobre a existência de variações linguísticas no português falado por aqui”. Ele ainda explica que, acertava quem marcava a alternativa que concordava que o dialeto secreto gay ou a linguagem  pajubá tem:  “status de dialeto para os falantes” podendo ser considerado “parte do patrimônio linguístico brasileiro” e anda, por ser “consolidado por objetos formais de registro”. Entendendo como “objetos formais de registro”, referências na literatura, por exemplo.

Quando nasceu o pajubá e porque começou a ser usado no Brasil

Segundo matéria do portal ‘Super Interessando, o pajubá foi criado durante a época da ditadura militar, possivelmente entre as décadas de 1960 e 1970, ganhando seu primeiro ‘documento oficial’ no ano de 1995, com o livro de nome “Diálogo de Bonecas”, organizado pela prsidente de uma extinta associação de gays e afins, Jovana Baby da  Astral (Associação de Travestis e Liberados), no Rio de Janeiro.

Dicionário com 1300 verbetes traz o nome de ‘Aurélia’, em alusão ao mais conhecido dicionário brasileiro

Em 2006, uma outra obra independente tentou se consolidar como status de “dicionário” do pajubá, o “Aurélia, A Dicionária da Língua Afiada”, que veio assinado por Angelo Vip e Fred Libi, contendo mais de 1.300 verbetes, o documento tinha intuito de revelar o significado das palavras mais utilizadas no mundo gay.

 

Carregando...