Notícias

Polícia faz busca na casa de João de Deus e se surpreende com o que foi encontrado

PUBLICIDADE

A força-tarefa destinada pela Polícia de Goiás para a investigação dos crimes dos quais está sendo acusado o médium João de Deus, fez nesta terça-feira, 18, sua primeira operação. Munidos de mandados de busca e apreensão, eles estiveram em uma residência do médium, em buscas de evidência e provas.

Dinheiro e armas foram encontrados na casa de João de Deus

Nesta primeira busca, armas e dinheiro em espécie, foram encontradas na casa do médium de João de Deus. Além do armamento, a força-tarefa encontrou uma grande quantia em dinheiro vivo.Todo o material foi apreendido e levado para perícia.

A polícia não divulgou quantas e nem o tipo de armas que foram encontradas, o valor total em dinheiro apreendido na residência também ainda não foi revelado. Espera-se que ainda nesta quarta, 19, a polícia divulgue detalhes da operação. Uma fonte, disse que achou estranho o fato do médium possuir armas e ter quantias em dinheiro guardados em sua casa, surpreendeu a investigação.

Polícia fez buscas na Casa Dom Inácio de Loyola, onde João atendia

Além das buscas casa do médium, foram realizadas operações na Casa Dom Inácio de Loyola, onde o líder religioso prestava atendimento espiritual aos fiéis.

As equipes da Polícia Civil de Goias chegaram no local por volta das 14h, adentraram ao centro espiritual e fizeram uma analise numa sala, que segundo o médium, seria usada como local da administração do centro.

Reportagens já davam conta do vazamento da informação, de que a Polícia deveria cumprir mandados de busca e apreensão nesta terça em endereços ligados ao médium.

O objetivo seria de esclarecer alguns ‘pontos contraditórios’ entre o depoimento de João de Deus e das vítimas. Foram mais 20 mandados, autorizados pela justiça do estado.

O médium segue preso preventivamente, mediante a acusação de ter abusado sexualmente de várias mulheres. Até esta quarta, cerca de 30 mulheres já teriam sido ouvidas.

Advogado de João de Deus disse que não há nada a esconder

O advogado criminalista que atua na defesa de João de Deus, Dr. Alberto Toron, declarou mais cedo que não havia tomado conhecimento dos mandados, mas ressaltou que as autoridades teriam “amplo acesso” a tudo que precisarem. “Não há o que esconder e vamos colaborar”, disse em uma entrevista.