Notícias

Gleisi Hoffmann enfurece internautas criticando condenação de Lula: “Nobel da Paz”

PUBLICIDADE

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta quarta-feira (6), um novo veredito, Lula agora foi condenado a 12 anos e 11 meses pelo caso do Sítio em Atibaia, cuja propriedade lhe é atribuída.

Lula é condenado pelo caso do Sítio em Atibaia

A sentença foi proferida pela juíza substituta Gabriela Hardt, da primeira instância e cabe recurso. A nova condenação de 12 anos e 11 de prisão é por corrupção e lavagem de dinheiro, o processo da Lava Jato apura se ele recebeu propina através de reformas implementadas no sítio em Atibaia (SP).

Ex-presidente é acusado de receber R$ 1 milhão como se fosse doação.

Não demorou muito para os que defendem o discurso de que o ex-presidente é perseguido e preso político, condenado sem provas, se manifestassem nas redes sociais. A mais entusiasta, a Deputada Federal pelo Estado do Paraná e ‘Presidenta’ Nacional do Partido PT, entrasse em ação.

Num descabido discurso, a petista segue na defesa do condenado, dizendo que a perseguição ao político não para e que a decisão foi proferida “a jato”. Gleisi acredita ainda, que Lula será indicado ao “Prêmio Nobel da Paz”.

O ‘tuite’ da deputada valeu inúmeros comentários, na grande maioria criticando a postagem da ilustre presidenta do PT, em defesa do condenado.

Veja algumas repostas no Twister de Gleisi Hoffmann

“Esquizofrênica, o Lula está preso porque roubou, e muito Justiça funcionando incomoda bandido”, disse um deles.

Outros simplesmente bradaram: “Grande dia”. Outros, mais espirituosos se divertiram com o texto da deputada: “Cê tá loca tia O vagabundo já tá preso, ‘fudido’, vai morar na cadeia Vai fritar bolinho e fazer tricô e para de passar vergonha por causa de bandido…”

O ex-presidente está preso em Curitiba desde abril de 2018, cumprindo pena de 12 anos e 1 mês, em condenação dada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), a primeira condenação de Lula em segunda instância pela Lava Jato, esta por corrupção passiva e lavagem de dinheiro referente ao caso do triplex no Guarujá (SP).