Notícias

Jean Wyllys decide não assumir o mandato de deputado e toma atitude radical

PUBLICIDADE

Do G1 e Estadão: O deputado Jean Wyllys reeleito para terceiro mandato decidiu não ir a cerimônia de posse dos deputados marcada para 1º de fevereiro. A Secretaria da Câmara informou que quem assumirá será seu suplente David Miranda (PSOL-RJ).

Jean está fora do Brasil e tomou uma decisão radical, Jean Wyllys não diz que volta mais ao país, em postagem na rede social ele fez uma espécie de desabafo.

Por medo de ameaças, o deputado eleito pelo PSOL Jean Wyllys vai deixar o Brasil

Nesta quinta, Jean Wyllys deu entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo” ele que está no exterior disse que não pretende mais voltar para o Brasil. Em entrevista, ele diz que o motivo são as ameaças de morte que vem sofrendo.

“O [ex-presidente do Uruguai] Pepe Mujica, quando soube que eu estava ameaçado de morte, falou para mim: ‘Rapaz, se cuide. Os mártires não são heróis’. E é isso: eu não quero me sacrificar”, disse Jean Wyllys à “Folha”.

Jean Willys. Foto/Reprodução
Jean Willys. Foto/Reprodução

Wyllys disse também que pesaram em sua decisão de deixar o Brasil as informações  recentes de que familiares de um ex-PM suspeito de chefiar milícia investigada pela morte de Marielle trabalharam para o senador eleito Flávio Bolsonaro durante seu mandato como deputado estadual pelo Rio de Janeiro.

“Me apavora saber que o filho do presidente contratou no seu gabinete a esposa e a mãe do sicário”, afirma Wyllys. “O presidente que sempre me difamou, que sempre me insultou de maneira aberta, que sempre utilizou de homofobia contra mim. Esse ambiente não é seguro para mim”, acrescentou.

Em uma rede social, Jean Wyllys publicou nesta quarta: “Preservar a vida ameaçada é também uma estratégia da luta por dias melhores.

Fizemos muito pelo bem comum. E faremos muito mais quando chegar o novo tempo, não importa que façamos por outros meios! Obrigado a todas e todos vocês, de todo coração. Axé!”

Fontes: G1 – Estadão