Notícias

PT faz acusações graves contra Sergio Moro após indicação para ministro

O PT - Partido dos Trabalhadores reagiu com críticas severas à escolha de Jair Bolsonaro, do juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça e Segurança Pública no seu governo.

PUBLICIDADE

Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) emitiu nota reagindo com duras críticas devido a escolha de Jair Bolsonaro, indicando o juiz Sérgio Moro para ministro da Justiça e Segurança Pública no governo. Para o PT, Moro revelou “imparcialidade como juiz”, por, depois de ter condenado o ex-presidente Lula da Silva, aceitado um convite do então presidente eleito: “Sua máscara caiu”, diz a nota oficial dada pela legenda.

PT diz que vai reforçar a campanha pela libertação de Lula depois da indicação de Moro para ministério

Logo após anunciado que Moro ocuparia o super ministério, o PT afirmou que reforçaria a campanha em prol da liberdade do ex-presidente preso em Curitiba, e cobrou ainda que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) “paute imediatamente” o julgamento da uma representação, protocolada em 2016 pelo partido, logo depois da divulgação das conversas gravadas entre o ex-presidente Lula e a então presidente Dilma Rousseff.

Sérgio Moro é criticado por Lula após convite de Bolsonaro - Foto/Divulgação
Sérgio Moro é criticado por Lula após convite de Bolsonaro – Foto/Divulgação

Em nota PT acusa Sergio Moro de beneficiar ‘os verdadeiros corruptos da Petrobras’

“O juiz que atuou tão fortemente contra Lula é o mesmo que beneficiou os verdadeiros corruptos da Petrobras e seus agentes, que hoje gozam de liberdade ou prisão domiciliar, além dos milhões que acumularam, em troca de depoimentos falsos, de claro cunho político”, diz a nota.

Partido dos Trabalhadores diz que Mourão já tinha intenção de indicar Moro durante campanha

Para o Partido dos Trabalhadores e seus integrantes, a indicação do juiz “é mais um sinal de que o futuro governo pretende instalar um ‘estado policial’ no Brasil”, com base nas declarações do vice-presidente eleito, general Mourão, que numa entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, afirmou que houve ‘sondagem’ a Sergio Moro ainda na campanha eleitoral.

Durante a semana, a indicação do juiz foi uma das principais pautas da mídia nacional e em outros países, houve quem criticasse, mediante uma análise mais de cunho político e houve também, na maioria, quem visse com isenção e mostrasse simpatia e positividade à indicação do presidente eleito Jair Bolsonaro do juiz Sérgio Moro para ministro da Justiça e Segurança Pública.