Saída de Pazuello da Saúde é eminente, ‘queda está por um fio’ diz jornal, veja quem entra

Saída de Pazuello da Saúde pode acontece nesta segunda-feira diz a imprensa. Com sérias dificuldade para gerir a grave crise de saúde, que assola o Brasil depois de um ano de pandemia de Covid-19, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello “está por um fio” dizem a mídia e redes sociais.

O ministro-general deve sair alegando problemas de saúde, segundo informações do portal “O Globo”, e pode deixar o cargo a qualquer momento.

Enquanto isso, Jair Bolsonaro, à procura de um substituto se vê às voltas com dilemas cruéis: enfrentar seu claro “negacionismo” e indicar um especialista de fato na área de saúde ou atender os pleitos de sua base fisiológica no Congresso  indicando um nome pedido pelo Centrão.

Saída de Pazuello da Saúde: quem Bolsonaro indica como novo ministro

Segundo Mônica Bergamo, jornalista da Folha de S.Paulo, o presidente acuado já teria conversado com a cardiologista Ludhimila Hajjar, do Incor e da rede de hospitais Vila Nova Star, inclusive a médica já até estaria em Brasília.

Outro nome seroa Marcelo Queiroga, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, nome também cogitado para a pasta.

Ludhimila Hajjar cotada para pasta da saúde. Imagem – Instagram

Outros nomes cogitados por Bolsonaro para a Saúde

Bolsonaro já teria também cogitado o nome de Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior, médico de 45 anos. O deputado federal Dr. Luizinho (PP-RJ), eleito em 2018 e que foi secretário de Saúde do Rio de Janeiro, entre 2016 e 2018,e exerceu o mesmo cargo em Nova Iguaçu, sua cidade natal na Baixada Fluminense, entre os anos de 2013 e 2015.

Dr. Luizinho integra hoje a Comissão Externa do Coronavírus além de presidir a Comissão de Seguridade e Saúde da Câmara, porém o mesmo teria enfrentado resistência do ex-ministro Ricardo Barros, também deputado do PP, que também se coloca como postulante para substituir Pazuello na pasta, onde já foi chefe no governo Michel Temer.

Neste ínterim, o ex-ministro da Saúde Artur Chioro, questionou se a mudança faria alguma diferença para a saúde do país:

“Quanto tempo sobreviverá um ministro da saúde que tenha empatia e respeite o sofrimento do povo brasileiro? Poderá pautar suas decisões e ações em evidências científicas, pelo cumprimento de seu papel de coordenador do SUS e respeitará o pacto ‘interfederativo’? Sem isso, tudo continuará como antes”, afirmou Chioro.

Saida de Pazuello: “erra muito”

Na época, secretário-executivo da pasta, Eduardo Pazuello assumiu o Ministério da Saúde em 16 de maio de 2020, substituindo Nelson Teich.O general, em 2 de junho foi nomeado ministro interino e empossado como titular somente em 16 de setembro.

A indecisão, em plena pandemia do novo coronavírus, foi considerada como uma mostra do descaso de Jair Bolsonaro com a saúde dos brasileiros.

O general substituiu o médico Nelson Teich, que esteve à frente do Ministério da Saúde entre 17 de abril e 15 de maio.

Teich, por sua vez, assumiu a pasta no lugar de Luiz Henrique Mandetta, nomeado ministro na posse de Jair Bolsonaro, até ser demitido em 16 de abril.

Teich e Mandetta caíram por discordar das posições negacionistas do presidente da República. Mandetta, hoje, tem o nome construído por setores da elite política que procuram uma “terceira via” para 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *