Bolsonaro perde 15 kg e avaliação médica pode pôr em risco campanha

Campanha de segundo turno de Bolsonaro é ameaçada após avaliação médica - Foto/Divulgação
Campanha de segundo turno de Bolsonaro é ameaçada após avaliação médica - Foto/Divulgação

Nesta quarta-feira, 10 de outubro, o clínico cardiologista Leandro Echenique, que cuida de Jair Bolsonaro, revelou à imprensa um novo comunicado médico envolvendo o candidato do PSL à presidência da república. O médico contou que Bolsonaro tem se recuperado bem, porém continua proibido de fazer campanha de rua e também participar de debates na televisão. As falas por longas horas, como costumam ser os debates, podem deixar Bolsonaro ainda mais debilitado.

Médico volta a proibir Bolsonaro nas ruas e na televisão

O clínico cardiologista Leandro Echenique revelou que Bolsonaro apenas pode fazer pequenos percursos e evitar viagens aéreas, mas que no próximo dia 18 ele deve viajar para São Paulo, onde participará de uma nova bateria de exames no Hospital Albert Einstein.

A revelação foi feita 34 dias após o início do tratamento de Bolsonaro contra os agravantes da facada que recebeu durante um ato de campanha na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

PUBLICIDADE

Bolsonaro perde peso e nova avaliação médica recomenda não fazer campanha

O médico revelou ainda que Bolsonaro perdeu 15 kg de massa magra e que apresenta um quadro de anemia. Por conta da grande perda de musculatura, ele deve evitar a campanha, o que, de certa forma, pode prejudicar o seu caminho no segundo turno. O adversário de Bolsonaro, Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (PT), já critica a possível falta do político nos debates à televisão.

Bolsonaro ainda está proibido de participar de debates do segundo turno - Foto/Divulgação
Bolsonaro ainda está proibido de participar de debates do segundo turno – Foto/Divulgação

Bolsonaro deve ficar de fora de debate da TV Bandeirantes, após avaliação médica

O médico de Bolsonaro ainda revelou que o candidato à presidência da república está inquieto e que, por ele, iria às ruas junto aos seus eleitores, como também na televisão.

Não estão proibidas entrevistas curtas, desde que Bolsonaro não fique mais do que dez minutos falando, necessitando pausas do mesmo tempo para voltar a falar. Com isso, Bolsonaro não deve participar do debate da TV Bandeirantes, marcado previamente para esta quinta-feira, 11 de outubro.

“Ele não tem mais inclusão de ferro na veia, como estava sendo feito, não tem mais antibiótico na veia, não tá mais com ‘home care’ do Eisten o tempo todo, que nós temos mantido. Então ele vai fazer uma intensa reposição nutricional e fisioterapia e, com certeza, pelo que nós conhecemos dele, quinta-feira que vem vamos liberá-lo para tudo que for necessário“, revelou o médico do político que teve 46% dos votos válidos no primeiro turno das eleições.

Você leitor e que gosta de política pode assinar nosso noticiário e ter com exclusividade e de graça todo o melhor conteúdo dessa área. Para isso, basta clicar no ícone de sino, que está localizado no lado esquerdo inferior da tela do seu computador ou celular. Em seguida, basta autorizar o recebimento das mensagens. Pronto, você está conectado com o melhor da informação.