Dilma, Gleisi e Lula viram réus em processos da Lava Jato nesta sexta, 23

Dilma vira ré em processo da Lava Jato junto com Lula e Gleisi. Foto/Reprodução

Denunciados nesta sexta-feira, na Justiça Federal em Brasília a ex-presidente Dilma Rousseff, a presidente do PT Gleisi Hoffmann e o ex-residente Luiz Inácio Lula da Silva, além outros integrantes do PT, pelo crime de organização criminosa. A decisão foi proferida pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara do Ministério Público Federal (MPF).

O juiz Vallisney Oliveira, de Brasília, aceitou a denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República, num processo que afeta os antigos chefes de Estado e dirigentes do Partido dos Trabalhadores (PT).

Dilma Rousseff e Lula denunciados por crime de organização criminosa ligados a petrolífera estatal Petrobras

O processo está relacionado com os escândalos de corrupção descobertos no seio da petrolífera estatal Petrobras.

PUBLICIDADE

Lula e Dilma viram reus em processo da Lava Jato. Foto/Reprodução
Lula e Dilma viram reus em processo da Lava Jato. Foto/Reprodução

A Procuradoria, à época liderada por Rodrigo Janot, apresentou uma denúncia em setembro do ano passado contra Lula, Dilma e outras seis pessoas, acusando-as de terem integrado o chamado “núcleo político” do PT que teria atuado no esquema de corrupção da Petrobras.

A denúncia também contempla a presidente do partido, Gleisi Hoffmann

E também os ex-ministros dos governos do Partido dos Trabalhadores Antonio Palocci (Ministério da Casa Civil e Economia) e Guido Mantega (pasta da Economia).

Os antigos governantes Paulo Bernardo (Gabinete de Comunicações e Planeamento) e Edinho Silva (da Secretaria de Comunicação), assim como o ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto, são os outros visados.

O ex-Presidente brasileiro Lula da Silva, que se encontra detido desde abril, foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pela prática dos crimes de branqueamento de capitais e corrupção passiva, num processo referente a um apartamento de luxo que teria recebido como suborno pela construtora OAS, em troca de favorecimento em contratos desta empresa com a estatal petrolífera Petrobras.