Notícias

Moro desmente absurda fake news da Folha: ‘nada está correto na referida matéria’

Folha acusa o ministro de se negar a responder um questionamento sobre suposto encontro com representante de fabricantes de armas.

PUBLICIDADE

A Folha, aparentemente, não se preocupa muito com a sua reputação, a preocupação do jornal, além da de angariar cliques, parece ser mesmo a de promover um ataque sem medidas ao atual governo, valendo-se da desinformação e, como já acusada em situações anteriores, da publicação de Fake News.

Desta vez,  o jornal ‘brincou’ com a reputação e estatura moral do ministro Sérgio Moro, o homem da Lava Jato, ele que comandou o desmantelamento do maior esquema de corrupção” nunca antes visto na história deste país”, e quicá do mundo.

O ex-juiz deu uma entrevista exclusiva para o Brasil Urgente

A Folha criou no seu imaginário, um encontro entre o Ministro e supostos representantes do setor de armas, que teria acontecido antes da edição do decreto de Bolsonaro, que flexibilizou as regras para posse de armas.

“Moro não responde sobre encontro com setor de armas e alega direito à privacidade” , diz o título da matéria da Folha.

Nunca houve esse encontro: “Destaco que eu não me reuni com representantes da Taurus ou de empresas de armas para discutir o teor do Decreto sobre posse de armas ou qualquer outro assunto”

A Folha, fez o questionamento através de um setor específico do Ministério da Justiça, ao invés de encaminhar para o gabinete de Moro ou simplesmente consultar a agenda de audiência do ministro, que é pública.

Na sequência o jornal divulgou que Moro teria se recusado a responder sobre o encontro, alegando “direito à privacidade”.

Mentira, “Fake News”, nota do ministro Moro chega a ser desmoralizante:

“Sobre a matéria publicada pelo jornal Folha de São Paulo, nesta quarta-feira (13), com o título “Moro não responde sobre encontro com setor das armas e alega direito à privacidade”, venho esclarecer o que segue. A consulta a que se refere o jornal foi enviada a um setor especifico do Ministério da Justiça e Segurança Pública e por ele respondido sem o conhecimento prévio do teor da resposta por mim. Portanto, a matéria está errada ao afirmar que eu teria respondido diretamente à consulta via Lei de Acesso à Informação. Destaco que eu não me reuni com representantes da Taurus ou de empresas de armas para discutir o teor do Decreto sobre posse de armas ou qualquer outro assunto. Por fim, a agenda das audiências do ministro é pública e a transparência dos meus encontros tem sido observada, nada havendo a esconder. Nada, portanto, está, com todo respeito, correto na referida matéria publicada pela Folha de São Paulo”.
Brasília, 13/02/2018. Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro