Notícias

Relatório do Coaf de Lula, Palocci e Dilma Rousseff mostrou movimentação de R$ 300 milhões dos petistas

PUBLICIDADE

Nos últimos dias toda a militância do PT e de partidos agregados, apoiados pela ‘Grande Mídia’, tem feito um verdadeiro estardalhaço com o vazamento do relatório do Coaf envolvendo Flávio Bolsonaro, com um único objetivo: desgastar a imagem do presidente eleito Jair Bolsonaro.

O que revelou o COAF, até o momento, são dados sem nenhuma consistência, ainda não há em andamento nenhuma investigação contra Flávio Bolsonaro, senador eleito e tão pouco contra o presidente eleito.

O Coaf não tem poder de dar vereditos, apenas de relatar movimentações financeiras suspeitas, como saques em dinheiro em bocas do caixa, depósitos alta monta, e que não tenham explicação, estabelecidas de acordo com as leis e regras do mercado.

Mas então vejamos,  as informações  de um relatório emitido pelo mesmo COAF sobre as movimentações financeiras de Lula, Palocci, Dilma Rousseff, e mais alguns elementos, na época  ligados ao ex-presidente petista.

A matéria com o relatório do Coaf sobre a cúpula petista, foi publicada pela Revista Época

A matéria que revela o relatório do Coaf sobre a alta cúpula petista, foi publicada em 31 de outubro de 2015 pela Revista Época. Separamos alguns trechos:

“Eis o quarteto que estrela o relatório: Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República, líder máximo do PT e hoje lobista; Antonio Palocci, ministro da Casa Civil no primeiro mandato de Dilma Rousseff, operador da campanha presidencial de 2010 e hoje lobista; Erenice Guerra, ministra da Casa Civil no segundo mandato de Lula, amiga de Dilma e hoje lobista; e, por fim, Fernando Pimentel, ministro na primeira gestão Dilma, também operador da campanha presidencial de 2010, hoje governador de Minas Gerais.”

Foram examinadas ao todo, contas bancárias e aplicações financeiras de 103 pessoas mais 188 empresas, todas com ligações com o quarteto petista. As operações, pasmem,  somam quase Meio Bilhão de Reais. Transações que envolvem os quatro petistas, soma cerca de R$ 300.000.000,00 (Trezentos Milhões de Reais).

Veja o trecho da matéria com o relatório do Coaf

“Dois meses após o início da Lava Jato, nos dias 29 de maio e 6 de junho de 2014, o ex-presidente Lula, então com 69 anos de idade, aplicou um total de R$ 6,2 milhões num plano de previdência privada da Brasilprev, do Banco do Brasil. Por se tratar de um investimento de mais de R$ 1 milhão no mercado segurador, logo acendeu um sinal de alerta no Coaf. A maior parte desse dinheiro investido tem como origem a empresa L.I.L.S. Palestras Eventos e Publicações, controlada pelo ex-presidente. A L.I.L.S., utilizada para receber pagamentos das palestras de Lula no Brasil e no exterior, também entrou na mira do órgão de inteligência financeira”.

“Entre 1º de abril de 2011 e 31 de maio de 2015, a empresa de palestras de Lula movimentou R$ 52,3 milhões. Recebeu R$ 27 milhões e transferiu R$ 25,3 milhões. Entre os maiores clientes do ex-presidente está a Construtora Norberto Odebrecht, que bancou boa parte das viagens e palestras dele no exterior, em países onde a empreiteira possui obras financiadas com recursos do BNDES. Como revelou ÉPOCA, contratos e notas fiscais confidenciais mostram que a Odebrecht pagou R$ 4 milhões ao ex-presidente entre contratações de eventos e despesas adicionais das viagens. É a maior patrocinadora de Lula.”

Fontes: Jornal da Cidade Online e Revista Época. Por Thiago Bronzatto em 31/10/2015 – 00h17 – Atualizado 06/11/2015 17h10. Matéria completa pode ser vista Clicando Aqui