Notícias

Roger Waters volta a criticar Bolsonaro em Brasilia e internautas deixam recados “Gringo filh…”

Roger Waters ex-Pink Floyd, repetiu neste sábado, 13, em Brasília seu protesto político manifestando sua repulsa ao candidato à presidência da República Jair Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Roger Waters voltou a repetir em seu show Brasília neste sábado (13/10), o que fez em São Paulo, criticando severamente o candidato a presidência Jair Bolsonaro. Os 54.390 espectadores que lotaram o Estádio Nacional Mané Garrincha, se dividiram entre gritos de “mito” e “ele não” e “mito”, mas nas redes sociais prevaleceram os comentários criticando, mais uma vez o posicionamento do cantor.

Show de Roger Waters em Brasília teve batalha de elenão e elesim

No telão foi exibida a frase “ponto de vista censurado”, onde no outro show estava o nome do candidato do PSL ao Palácio do Planalto, seguida da provocação “nem fodendo , que substituiu o  “ele não” exibido na primeira apresentação Us + Them no Brasil, também em São Paulo.

Bolsonaro e críticado por Roger Waters. Reprodução
Bolsonaro e críticado por Roger Waters. Reprodução

Roger Waters manifesta novamente sua repulsa ao candidato Jair Bolsonaro

Ao manifestar sua repulsa ao candidato Jair Bolsonaro, o cantor dividiu opiniões, quanto ao candidato à presidência, mas apesar da polêmica dos outros shows, com o nome de Bolsonaro, quase não se viu pessoas usando camisetas com motivação político eleitoral durante o show.

No momento em que crianças encapuzadas usando uniforme na cor laranja usados na prisão ocuparam no palco para teatralizar Another Brink in the Wall, com um vigoroso sing along.

Show de Roger Waters em Brasília ganhou significado político

No meio do hit, elas tiraram os capuzes das cabeças e os macacões com público vibrando e cantando “hey teacher, leave the kids alone”, Porém ss camisetas usadas traziam a palavra “resist”, culminando com o cantor Waters ao microfone falando para o público: “Essas crianças são de Brasília”, revelando o cunho político da apresentação.

Na segunda parte do show, Waters ainda usou o microfone novamente, mostrando que queria seguir com o papo político: com destaque para a frase: “Desculpe, mas não vejo muitos diretos igualitários rolando aqui no Brasil”.

“Precisamos que um pouco do amor desse lugar se espalhe pelo mundo. Para manter esse planeta habitável para os nossos filhos e os filhos dos nossos filhos”.

“Para isso, temos que nos perguntar se acreditamos nos direitos humanos universais. Eu acredito. Acredito que a maioria aqui também. Desculpe, mas não vejo muitos diretos igualitários rolando aqui no Brasil. Em São Paulo, as pessoas começaram a brigar.

O cantor seguiu com o discurso: Na segunda noite, eu disse: ‘em vez de brigar, vamos guardar a energia para resistirmos aos malditos porcos”,  provocando divisão no público, entre gritos de “ele não” e de “mito”.

Repercussão e comentários nas redes sociais e em algumas matérias veiculadas sobre o fato:

Lourdes F. comentou
“Alguém avise esse estrangeiro que Aqui o PT é de esquerda, comunista e fascista. Sim isso mesmo, manipulam de forma a acreditarem o contrário. Seguem a cartilha de Lênin: “CHAME-OS DAQUILO QUE VOCÊ É, ACUSE-OS DO QUE VOCÊ FAZ.”

Rafael G.
“Praga desse gringo sai do outro lado do mundo pra fazer merda aqui #lixo”

Comentários nas Redes Sociais sobre Rogers Waters. Imagem/Captura
Comentários nas Redes Sociais sobre Rogers Waters. Imagem/Captura

Lourdes F.
“Tá explicado, a produtora desse lixo está sendo paga através da lei Rouanet … Bandidos”.

Elton W.
“Roger Waters, vou tentar te explicar, ok! respeito sua indignação ao fascismo. o Grande problema é que fascista é o pT, é uma ditadura disfarçada. Se vc acompanhar os destaques dos últimos 13 Anos, vc nao vai aderir uma suposição e integrar a matematica de suas apresentações. Conheça mais sobre o Brasil e depois, tome uma decisão assim. Vc vai perceber que o Pt é a verdadeira ditadura disfarçada. vai por mim que vc passa de ano!”

Pessoas que comparam ingressos para o show d Roger Waters a mais de um ano se disseram indignadas

Segundo publicação  no portal Folha de São Paulo, uma das pessoas que gritavam “ele sim”, a professora de 48 anos, Nélia Dias, classificou como “ridícula” a manifestação de Waters. “Atrapalha o prazer de ver o show. Ele só dividiu o estádio”, disse. 

Perguntada sobre o porquê de ir ao show, mesmo sabendo das manifestações do roqueiro nos shows paulistas, ela afirmou que havia comprado o ingresso ha mais de um ano. “Era um sonho vir. Não dá para misturar política com divertimento, são duas coisas que não vão juntas”, concluiu.