Notícias

Sergio Moro diz o que sentiu ao condenar Lula e choca, ‘até fez coisas boas’

PUBLICIDADE

Sergio Moro, futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, deu uma entrevista ao Brasil Urgente nesta última quinta-feira (13) e disse que não teve prazer ao condenar o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-juiz disse também que lamenta ter partido dele a condenação do petista e que Lula ‘até fez coisas boas’.

O futuro ministro explicou que nenhum juiz criminal sente prazer em mandar prender alguém e muito menos condenar, só que isto faz parte do trabalho, mas garantiu que pessoalmente não tem nada contra Lula.

Sergio Moro lamentou que tenha sido responsável pela condenação de Lula

Moro lamentou que tenha sido responsável por condenar uma figura pública e que durante o tempo em que esteve à frente do país, o ex-presidente até fez coisas boas.

Sérgio Moro pode virar Ministro do Supremo em governo Bolsonaro - Foto/Divulgação
Sérgio Moro Ministro do Supremo em governo Bolsonaro – Foto/Divulgação

O ex-juiz garantiu que sempre tratou o caso de forma totalmente impessoal e que a defesa do petista criou uma história de que estava sendo feita uma perseguição política ao PT e também seus aliados.

Moro é criticado pela defesa do ex-presidente

A defesa de Lula continua argumentando que Sergio Moro foi totalmente parcial em sua decisão, assim como na condução de alguns outros casos relacionados à Operação lava Jato, mas ele acabou pedindo exoneração para que em breve possa assumir o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública.

Sérgio Moro já é cogitado até para assumir presidência da república - Foto/Divulgação
Sérgio Moro já é cogitado até para assumir presidência da república – Foto/Divulgação

Mas Sergio Moro ressaltou que na Lava jato tem políticos do PTB, PMDB, entre outros partidos, dando destaque à prisão de Eduardo Cunha, que foi presidente da Câmara dos Deputados e apontado por muitos como ‘inimigo do Partido dos Trabalhadores’.

Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, a 9 anos e meio de prisão. Em segunda instância a sentença veio a ser confirmada e o TRF-4 ainda aumentou a pena do petista para 12 anos e 1 mês. Lula encontra-se preso desde abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.